6 de abril de 2011

Crítica a Sociedade


 Se é gorda, não serve. Se é magra , não serve. Se é baixinha, ela não te alcança. Se é alta, fica feio. Se é gostosa, é fútil. Se não tem peito e bunda, é reta. Se é nerd, é chata. Se não é estudiosa, é burra. Se tem ídolos, é infantil. Se não tem, nunca vai ser nada, porque não tem em quem se espelhar. Se fala “eu te amo” toda hora, é falsa. Se não fala “eu te amo”, é fria. Se é fechada, é sem papo. Se se aproxima, fala demais. Se sorri demais, é mentira. Se chora demais, é exagero. Se é rico, é metido. Se é pobre, é coitado. Se é engraçado, quer se mostrar. Se é quieto, é sem graça. Se beija demais, não sabe se respeitar. Se não beija todo mundo, é idiota. Se tem tatuagens/piercings, é revoltado. Se não tem, é sem personalidade. Se ultrapassa as regras, não tem postura. Se não ultrapassa, é certinho. Se não fala, é antipático. Se fala, está a fim. Então, seja o que você quiser. Nada vai estar bom para a sociedade mesmo.

Um comentário:

  1. Fiquei lisonjeadamente muito saciado com sua fabulosa crítica. Diria até, que se fosse você uma apresentação em teatro. Eu bateria palmas para você de pé.

    Gostei muito de sua crítica. Normalmente eu costumo acrescentar mais coisas, quando vejo alguma crítica. Mas a sua está aparentemente bem completa. Gostei muito.

    ResponderExcluir