25 de janeiro de 2016

E você, quem é?




Eu só tenho um amor para oferecer.
E, na maioria das vezes,
esse amor é aquele que ninguém vê.
Até que um dia uma garota resolveu mudar a história.
Em vez de:
“Não quero sofrer”,
ela disse:
“Prazer. E você, quem é?”.
Eu sou aquele
do primeiro beijo,
ao arrepio e tremor no joelho.
Que todos os dias vai acordar
e enviar uma mensagem:
“Bom dia”.
Que todas as noites, antes de dormir,
vai ligar e dizer:
“Boa noite. Até amanhã”.
Que vai esperar você secar o cabelo
para roubar um beijo.
Que vai te abraçar, girar e tirar o seu ar.
Eu sou aquele que vai andar de mãos dadas
e ficar do lado de fora da calçada.
Que está disposto a esperar a noite toda
para beijar a sua boca
e descer até a nuca.
Arrepia, né?
Eu sou aquele
que vai pegar a sua mão pequena
e te chamar pra dançar.
No início,
não vai dar muito certo.
Sou tímido.
Vou pisar no seu pé
e abrir aquele sorriso meio bobo.
Eu sou aquele
que vai achar engraçado
o seu all star furado.
Que vai dirigir por horas
para te buscar na porta.
E, claro,
vou esperar do lado de fora do carro.
Eu sou aquele que,
depois da primeira vez,
vai dançar com você em cima da cama
ao som de Michael Bublé.
Eu sou aquele que antes de ir embora
vai fazer cafuné e esperar você dormir.
Que colo e coração acelerado
não é por acaso.
Eu sou aquele que vai deitar na areia
e contar as estrelas.
Eu sou aquele
que não precisa de hashtags
ou anel para ser fiel.
Sacanagem só na cama,
tudo bem?
Ah!, não levante.
Só uma vez não é suficiente, ok?
Eu sou aquele que vai te ligar no meio da tarde.
Muitos acham isso bobo,
mas sempre vou dizer  ”eu te amo” na frente dos outros.
Eu sou aquele
que vai te aceitar do jeito que você é.
Ansiosa, apaixonada, e um pouco desajeitada.
“CARAMBA!”, ela disse.
Eu perguntei: ”O que foi?”
“Bom, isso tudo realmente vai acontecer?”, ela quis saber.
“E se acontecer?”, respondi.
“Duvido!”.
“Um mês, eu dou um mês para você se tornar um idiota”, ela respondeu.
“Ok”, eu falei.
“Não! NÃO! Três meses!”, ela disse.
“Ok.”
“NÃAOOO!!!! PARA!! SEIS MESES!”, ela disse.
“Ok.”
Ela se inclinou e me beijou.
Um ano se passou.
Ontem ela sentou ao meu lado e disse:
“Você fez tudo o que disse que iria fazer.
Obrigada por me oferecer um amor que ninguém vê”.
Ela suspirou.
“Bem, esse amor não existiria
se naquele dia você não tivesse dito sim.”
“Eu quero mais um ano”, ela falou.
“Não”, eu disse.
“Sério?”, ela perguntou, boquiaberta.
“Vem, chega mais perto”, falei baixinho.
“Eu só tenho um amor para oferecer.
E, entenda,
esse amor é aquele
que tem início
mas não tem fim.”

(The Love Code-Ique Carvalho)

10 comentários:

  1. Lindo texto, gostei muito.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Lindo :)

    http://checkinonline.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. gente que texto mais lindo viajei aqui pode até ser que o cara perfeito não exista mas certamente sempre vai ter aquele que nos faz acreditar que sim isso pode existir :)
    beijos



    http://www.loucaapaixonada.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo Tay!! eu quero acreditar que ainda exista alguém assim!

      Obrigada pela visita! beijinhos!

      Excluir
  4. Amamos o seu blog, beijos Deus te abençoe ♥

    http://unidasporum.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir